This site uses cookies. Some are essential while others improve your browsing experience and allow us to advertise. For more info visit the privacy policy page.

Allow inessential cookies for:

Dina preferenser har uppdaterats

Sep 26, 2016

Aruba deixa lei sem precedentes para criar um equilíbrio entre as acomodações da ilha

Aruba deixa lei sem precedentes para criar um equilíbrio entre as acomodações da ilha

 Aruba modificou a licença que regula as atividades "all-inclusive" na ilha - uma ação sem precedentes no Caribe e um movimento significativo na industria do turismo global. De acordo com a proposta do governo feita em maio para criar um portfólio equilibrado de acomodações, 40% dos quartos de hotéis da Ilha poderão ser all-inclusive.

 

Em agosto de 2016 o governo irá colocar um limite de 20% de quartos all-inclusives vendidos pelos hotéis europeus. A nova lei define sete* conceitos de acomodação e estão sujeitos a uma permissão de 20 anos de validade.

“Devido ao alto nível de dependência da industria do turismo, que de acordo com o World Travel & Tourism Council é o número um no Caribe e segundo no mundo, relativo ao seu tamanho, nós acreditamos ser mandatório formular uma política que vá de acordo com o interesse geral da ilha e realinhar a política em respeito aos provedores de acomodações da ilha”, disse Otmar Oduber, ministro do turismo, transporte, primeiro setor e cultura de Aruba. “A nova regulamentação garantiá que todos continuem ativos na industria do turismo e permitirá uma contribuição saudável para o PIB de Aruba que atualmente depende 91% do turismo”.

Como parte do “Direito do Avô” – Hotéis que já operavam como all-inclusive antes de 9 de maio de 2016, automaticamente terão a licença de vinte anos. Aqueles hotéis que não ofereçam mais de 20% da sua operação para o segmento all-inclusive continuará com a licença de operação. Aqueles hotéis que não são exclusivamente all-inclusive mas tem alocado mais de 20% da operação para pacotes all-inclusive terão dois anos para reduzi-la a 20%.

O decreto ministerial da lei concede autoridade ao ministro para dar exceções na lei dos vinte por cento em certos casos – como, por exemplo, quando o hotel estiver recebendo uma grande conferência do segmento MICE ou se puder provar que as estadias caíram se comparadas com o ano anterior.

 “O objetivo de Aruba não é eliminar os resorts all-inclusive, nós entendemos que este mercado é considerado um segmento de rápido crescimento na indústria de turismo e lazer nos próximos 10 anos”, disse Ronella Tjin Asjoe-Croes, CEO da Autoridade de Turismo de Aruba. “Nosso objetivo é continuarmos competitivos e criar um balanço, enquanto reavaliamos a política de cinco em cinco anos, para garantir que os interesses de Aruba continuem a serem atendidos. Ultimamente uma mistura saudável de acomodações na ilha é crucial para o sucesso de Aruba”.

Acomodações alternativas são o componente chave deste equilíbrio.

“Aruba compreende o conceito de “economia compartilhada” e explora áreas onde a economia compartilhada agrega valor a comunidade e aos visitantes”, disse Tjin Asjoe-Croes. “Como parte desta abordagem proativa, nós começamos uma conversa com o AirBnB Inc. para formalizar uma parceria. Nosso objetivo é trabalharmos juntos para alcançarmos um turismo mais sustentável e único à ilha, ajudar Aruba a se tornar líder regional na economia

De mais de 5.540 quartos para hospedagem na ilha, aproximadamente 66% pertencem a hotéis de origem européia e 32% são de resorts all-inclusive. Esta mistura tem servido como base do desenvolvimento da industria do turismo de Aruba.

Os oficiais do governo e do turismo de Aruba fizeram as análises necessárias e formularam ações especificas para impactar o futuro do setor de acomodações all-inclusive. A visão de uma mix equilibrado de acomodações resultou de uma pesquisa dentre mais de 13 publicações que sugerem a correlação entre resorts all-inclusive e uma diminuição nos gastos e imersão na cultura local.

A autoridade de turismo de Aruba (ATA) também fez uma pesquisa de consumo para medir a percepção de Aruba de viajantes dos EUA e Canada que tenham visitado ao menos um destino no Caribe e/ou México nos últimos cinco anos. A oferta de um all-inclusive é significativamente menos relevante aos viajantes do que a qualidade das praias de Arubas, características da natureza e experiências com a gastronomia local.

 “Nós tinhamos a responsábilidade de realizar esta pesquisa para a política de Aruba por sermos um destino que busca aumentar o número de visitants proativamente, que gostem da cultura e culinária dinâmica de Aruba que é influenciada por mais de 90 nacionalidades presentes na ilha”, disse Oduber. “Estas medidas garantem o crescimento contínuo de Aruba”.

Após um ano recorde com 1.07 milhões de visitantes em 2014, ATA reportou que as chegadas em 2015 aumentaram em 14,3% totalizando um total de 1.22 milhões de visitantes no ano. A maioria da Ilhas no Caribe tiveram um aumento dentre 3 a 10% nas estadias anuais de 2014 para 2015.

 O setor hoteleiro de Aruba também mostrou um crescimento no último ano. O total de noites nas estadias tiveram um aumento de 8,3% em 2015 enquanto o ADR cresceu 2,7% para $237,39. O RevPar de Aruba cresceu consideravelmente nos últimos anos, de número 8 de todo o Caribe em 2011/2012 para número 7 em 2013 e número 6 em 2014/2015 – especificamente em 2015 teve crescimento de 1% para $191,10, o que de acordo com o STR é maior do que a média caribenha de $158.

Ao receber mais visitantes Aruba viu um aumento em seus gastos em 2015. Os recibos do turismo cresceram 2,8% em 2015 comparando a 2014.

*Os sete conceitos de acomodação incluem:Compartilhamento; Acomodação (uso do quarto vs. Pagamento); Noite de Alojamento (visita de uma única noite); Acomodação All-Inclusive (estadia incluí bebidas não alcoólicas, comida e acesso parcial ou total para uma ou mais atividades recreativas); Hotel all-inclusive (oferece somente acomodações all-inclusive); All-inclusive Inn (estabelecimento com no máximo 10 quartos oferecendo amenidades all-inclusive); Permissão All-inclusive.